Warburg Pincus vai comprar 25% da Eleva

A gestora de fundos de private equity Warburg Pincus está em negociações finais para fazer um aporte de cerca de R$ 300 milhões na holding de educação Eleva, segundo o Valor apurou. A injeção de recursos dará à Warburg Pincus uma participação de cerca de 25% na companhia de educação básica, que tem como principal acionista individual o empresário e  investidor Jorge Paulo Lemann.

O aporte se dará por meio de aumento de capital e saída de alguns acionistas que não estão no dia a dia da operação.
Criada em 2013, a Eleva tem hoje cinco redes de escolas em Minas Gerais, no Paraná e no Rio de Janeiro: Pensi, Eleva, Elite, Coleguium e Alfa. Ao todo, a holding Eleva conta com 40 mil alunos e faturamento na casa dos R$ 500 milhões.

Concretizado, esse investimento deve marcar a primeira incursão da Warburg Pincus no setor de educação no Brasil. A gestora tem negócios na área de ensino em outros países como a rede de escolas Stratford School, nos Estados Unidos. Procuradas pela reportagem do Valor, a gestora e a Eleva preferiram não comentar o assunto.
Em março, reportagem do Valor mostrou que a Eleva estava em negociações com fundos de private equity estrangeiros para receber um aporte que, além de recursos, trouxesse conhecimento internacional na área de educação para a holding.

No controle da Eleva está o Gera Venture Capital, que detém 70% da rede de escolas. O Gera, por sua vez, tem como grandes investidores individuais Marcel Telles e Claudio Haddad também fazem parte do grupo de sócios, que reúne diversas pessoas físicas.

A Eleva Educação tem chamado atenção de investidores porque em pouco tempo formou uma grande rede de escolas de educação básica – segmento para o qual os investidores estão mais interessados atualmente depois do boom de aportes financeiros no ensino superior, que continua em processo de consolidação.

Entre os participantes que já conseguiram formar uma rede mais extensa neste setor de ensino básico estão a Somos Educação (controlado pela gestora de fundos de private equity Tarpon), o Grupo SEB (do empresário Chaim Zaher), além da holding Bahema que recentemente comprou as escolas da Vila, em São Paulo, Parque, no Rio.

A Kroton é outro gigante interessado no mercado de educação básica, que é extremamente pulverizado.

Com mais de US$ 60 bilhões em investimentos já feitos no mundo, a gestora de private equity americana Warburg Pincus trabalha com fundos globais para a compra de participações em empresas. Não possui, portanto, veículos específicos para investimentos no Brasil ou na América Latina. O mais recente fundo foi levantado em 2015 e somou US$ 13,4 bilhões

Com mais de US$ 60 bilhões em investimentos já feitos no mundo, a gestora de private equity americana Warburg Pincus trabalha com fundos globais para a compra de participações em empresas. Não possui, portanto, veículos específicos para investimentos no Brasil ou na América Latina. O mais recente fundo foi levantado em 2015 e somou US$ 13,4 bilhões

Fonte: Valor Econômico

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO