Vantagens que uma Operação de Fusão ou Aquisição pode Gerar para Empresas em Crise

Empresas em crise carregam um fardo grande. Além de terem de sobreviver em um mercado cada vez mais competitivo, com concorrência afiada, necessitam olhar para dentro de casa, entenderem o que está errado e agirem de forma rápida na busca de transformação.

A gestão do fluxo de caixa, esquecida nessas horas de aflição é ação central a ser realizada. Há empresas em dificuldade financeira há anos, décadas em alguns casos. O problema já é estrutural, enraizado na cultura da empresa. Contas atrasadas, adiantamento de recebíveis para sobreviver e estrutura obsoleta.

O empresário e seus colaboradores aceitam este cenário e seguem a vida. Superar esta realidade exige grande esforço e transformação. Deixar vícios empresariais para trás, aplicar choques de gestão e testar novos processos. No campo prático tais transformações precisam de recursos, que a empresa não possui. Entre perecer nessa realidade e vender a companhia, a segunda opção, com desapego, mesmo às empresas familiares, pode ser mais inteligente.

Ter autocritica e entender que um sócio – capitalista e/ou estratégico, pode dar uma guinada na operação, posicionando produtos e serviços e trazendo novas tecnologias pode ser uma grande saída. Com novas ideias e capital humano, além de uma injeção de ânimo no time, sem aumento de endividamento e custo financeiro, fica mais fácil delinear uma nova visão estratégica para construção do futuro da companhia. O investidor naturalmente está de olho em oportunidades e no ganho futuro.

Entender que o problema pode estar na gestão e que com novas regras e ajustes em processos pode haver criação de valor e melhora nos números da empresa  é o que motiva o investidor. Se tiver sinergia com seus negócios, melhor ainda. Para o empresário em dificuldade é melhor ceder uma participação da empresa ou mesmo o controle, para voltar ao jogo empresarial e fazer frente aos concorrentes, do que permanecer com 100% do capital de uma empresa quebrada, vivendo de lembranças dos tempos de pujança.

Mais doloroso, mas às vezes não menos inteligente, é o empresário entender que seu ciclo acabou e passar todo o negócio adiante. Preserva-se a empresa, empregos e até mesmo a sua história, mesmo que nas mãos de novos donos. Sem dívida e com algum dinheiro no bolso esse novo mundo traz diversas oportunidades para o vendedor recomeçar.

Fabrício Scalzilli

Sócio Nello Investimentos

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO