Fusão une as duas maiores redes de jornais dos EUA

A Gannett, que publica o jornal “USA Today”, fechou acordo pelo qual será adquirida por cerca de US$ 1,4 bilhão pela GateHouse Media, controlada pela Fortress Investment Group, do Softbank. O negócio vai combinar as duas maiores redes de jornais dos Estados Unidos em circulação.

Sob os termos do acordo, anunciado ontem, a controladora da GateHouse vai pagar US$ 12,06 aos acionistas da Gannett, em dinheiro e ações. É um ágio de 18% sobre o preço médio dos últimos cinco dias de negociação das ações da Gannett até 2 de agosto. Uma vez fechada a transação, os acionistas da GateHouse vão controlar cerca de 50,5% da companhia; o restante ficará nas mãos dos acionistas da Gannett. A companhia combinada se chamará Gannett.

A transação ocorre em um momento tumultuado para a imprensa escrita local e regional. Mais de 1,8 mil jornais dos Estados Unidos foram forçados a fechar as portas nos últimos 15 anos, em meio a uma grande queda nas receitas com anúncios, que migraram para gigantes do setor de tecnologia como Google e Facebook.

A fusão colocará sob um único teto 263 veículos de imprensa diários de 47 Estados americanos e da ilha de Guam, no Pacífico. Isso significa que um em cada seis jornais dos EUA será controlado por uma única empresa, segundo estimativa de Ken Doctor, analista de mídia do site Newsonomics.

A Gannett é a maior rede de jornais dos Estados Unidos e seus títulos incluem “Detroit Free Press”, “Indiana Star” e “The Arizona Republic”. A GateHouse é a segunda maior rede e controla jornais como “The Austin American-Statesman”.

“A união de nossos funcionários talentosos e dos portfólios complementares nos permitirá ampliar nossas amplas coberturas locais para os consumidores, aprofundar nossa oferta de produtos para as empresas locais e acelerar nossa mudança das operações centradas no papel para as dinâmicas operações multimídia”, disse Michael Reed, presidente do conselho de administração e presidente-executivo da New Media, controladora de capital aberto da GateHouse.

A GateHouse e a Gannett disseram que o negócio criará sinergias de custos avaliadas em até US$ 300 milhões ao ano. As duas empresas vão eliminar empregos e racionalizar operações.

A gestora de ativos Apollo concordou em emitir uma linha de crédito sênior securitizada de US$ 1,7 bilhão para a GateHouse, que será usada pela companhia para financiar a parte em dinheiro da operação, além de eliminar dívidas existentes nos dois grupos.

Para a Gannett, o negócio ocorre meses depois de a empresa ter conseguido evitar uma tentativa de aquisição hostil feita pela MNG Enterprise, companhia jornalística concorrente apoiada pelo fundo de hedge Alden Group.

“Vemos inúmeras oportunidades para reforçar a escala e o poder financeiro da companhia combinada para continuar a impulsionar o crescimento em direção ao futuro digital. O importante é que encontramos na New Media [que controla a GateHouse] um parceiro forte e que se ajusta culturalmente à Gannett, enquanto continuamos a cumprir o compromisso com a excelência jornalística em relação às comunidades que atendemos”, disse Jeffry Louis, presidente do conselho de administração da Gannett.

Fonte: Valor Econômico

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO