Estude o seu segmento

Tomar uma decisão de compra ou venda de uma empresa é, na maioria das vezes, uma atitude complexa que exige a análise de diversos fatores. Não é fácil, para muitos empresários que lideram principalmente empresas de médio porte e familiares, entender a amplitude e os riscos de um processo de fusões e aquisições.

Fala-se muito em passivo oculto, laudo de avaliação, metodologia para construção do preço, táticas de negociação, mas muitos, inclusive consultores experimentados, esquecem de uma questão básica: estudar constantemente o seu segmento de atuação!

Converse com pessoas do setor, com concorrentes e fornecedores. Busque acompanhar dados e indicadores do segmento, através de diferentes fontes. Participe de associações e eventos e busque aprender com histórias de fracasso e sucesso no seu meio empresarial.

Vá atrás de novas tecnologias e entenda as inovações que outros empreendedores estejam aplicando em negócios similares. Não foque apenas nas grandes empresas como receita de sucesso, mas acompanhe no nascedouro novos empreendedores e startups que foquem em soluções para o futuro do setor.

Viaje pelo Brasil e, se possível, pelo exterior em busca de conhecimento e troca de experiências. Não fique, portanto, preso a rotina do escritório, fazendo mais do mesmo ou, na melhor das hipóteses, realizando ajustes incrementais.

Tudo isso dará subsídios para que o empreendedor busque as melhores oportunidades no mercado, principalmente se o foco for expansão. Demonstre, como empresário, que você está aberto a oportunidades, seja para aquisição de ativos e empresas concorrentes, bem como para negócios que possam gerar escala e capturar sinergias. Se, por outro lado, a decisão for de venda do negócio, certamente o empresário que acompanha de perto o setor estará mais bem preparado para a construção de sua tese de investimento, demonstrando seus diferenciais competitivos, as barreiras de entrada e a sua proposta de valor.

Por conhecer e vivenciar o mercado, este empresário terá condições de analisar se a concorrência é hostil, para fins de oferecimento da oportunidade e se há indicativos de crescimento para o segmento, o que pode atrair, inclusive, outros interessados, como os fundos de investimento.

Só não esqueça de fazer o dever de casa, através da implementação de uma governança empresarial sólida, controle rígido sobre custos, boa geração de caixa e alinhamento entre os sócios.

Editorial Nello Investimentos

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO