Cresce o número de fusões e aquisições Santa Catarina

O mercado de fusões e aquisições em Santa Catarina está aquecido e foi impulsionado por vários motivos. Os setores que tem apresentado muitas movimentações são os de nutrição animal, tecnologia e educação. Neste cenário, grupos nacionais e internacionais estão cada vez mais olhando ativos no Estado Catarinense para aquisições ou aportes de capital.

Alguns exemplos de operações na região se deu com o Fundo de Investimentos Aqua Capital que adquiriu participação majoritária na Lac Lélo e acaba de concluir a aquisição da Cruzília em São Paulo através dessa investida. No ramo de tecnologia, a startup de visualização 3D e realidade aumentada Decora foi adquirida pela norte-americana CreativeDrive por cerca de US$ 100 milhões. A venda da empresa tornou-se o maior negócio do ecossistema de startups em SC. Já no setor da educação, a Ânima Educação anunciou em Julho de 2018 a aquisição da Faculdade Jangada, de Jaguará do Sul, pelo valor de 7,6 milhões de reais.

Segundo o Diretor da Nello Investimentos, em Santa Catarina, Bruno Saldivia, a tendência a longo prazo é que ocorram mais operações de M&A, pelas mudanças macroeconômicas que estão por vir, com uma agenda mais liberal, aliado ao cenário competitivo que o estado de Santa Catarina oferece, em frentes como infraestrutura, tecnologia e mão de obra qualificada. “De acordo com o relatório de previsões que o escritório Baker McKenzie acaba de concluir com a Oxford Economics (OE), a expectativa é de que haja aumento de cerca de 30% nos negócios de compra e venda entre empresas, e seguirá numa crescente até meados de 2021. Em Santa Catarina o cenário não é diferente,  onde algumas transações podem acontecer já no primeiro trimestre”, afirma Saldivia.

Otimismo e grande potencial

O mercado de fusões e aquisições está crescendo e os empresários veem o mercado com otimismo. “Nossa análise é que existem mais de R$ 35 bilhões estancados em fundos e investidores, os quais aguardavam mais clareza no cenário politico-eleitoral, fora os recursos oriundos de um programa mais agressivo de privatizações que deve ocorrer. Estes recursos devem começar a entrar na economia real em breve, ainda mais frente a um cenário de juros baixos que tende a permanecer em 2019. Há, portanto, grandes oportunidades para as empresas financiarem a retomada e a sua expansão nos próximos anos, com a entrada, inclusive de players internacionais em setores estratégicos como infraestrutura e concessões”, finalizada o diretor da Nello Investimentos em Santa Catarina.

Bruno Saldivia

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO