Concil recebe R$ 15 milhões para internacionalização

A Concil, startup paulistana focada em gestão financeira, recebeu R$ 15 milhões em rodada liderada pelo fundo de investimentos Prosegur Tech Ventures, da companhia homônima de segurança privada. Com o montante, a empresa nascente pretende entrar em outro país da América Latina e faturar R$ 20 milhões em 2019. No ano passado, a receita atingiu R$ 10 milhões.

Com atuação desde 2010 nesse modelo, a Concil atende qualquer empresa que atua com recebimento de cartão de crédito como prática de venda. Tem como objetivo facilitar os valores e as datas que as vendas vão entrar em caixa por uma plataforma online e aplicativo para celular.

“Basicamente o cliente sabe quanto entrou, quantas taxas pagou e quando [o dinheiro] vai entrar”, explica o CEO, Leonardo Campelo. Eles justifica que esse processo não é simples, pois as empresas aceitam diversos cartões, que têm taxas de administração e prazos de pagamento diferentes.

Campelo destaca o serviço de auxiliar seus clientes ao saber as taxas que pagam para cada adquirente. “Hoje eles usam nossa plataforma para ver quais bandeiras valem a pena usar e negociar as taxas com essas companhias.”

Por mês, passam pela plataforma da startup cerca de R$ 2 bilhões, valor movimentado por seus clientes, como Dafiti e Whirpool, além de outras centenas incluindo farmácias em cidades do interior e mercados de bairro de todo o País.

Campelo explica que o capital será utilizado para a expansão para outros países, com foco na América Latina e Europa.

Parceria não é novidade

Embora esse tenha sido o primeiro aporte da Prosegur numa startup brasileira neste ano, esse movimento não é uma novidade da companhia de segurança. O diretor comercial e de estratégia da Prosegur Cash, Sérgio França, explica que a empresa está passando por uma transformação digital e os negócios inovadores vão dar suporte nesse momento.

O executivo explica que o objetivo do Prosegur Tech Ventures é sempre ter participações minoritárias para alavancar o crescimento das investidas mantendo a autonomia dos empreendedores. Quaisquer startups que tenham sinergia com a companhia de segurança são interessantes para o grupo.

No caso da Concil, a startup vai ser uma parceira da Prosegur Cash, divisão responsável pelos serviços de logística de valores do grupo. Campelo diz que desenvolveu uma solução para ajudar o lojista na gestão do dinheiro físico, no caso dos clientes da Prosegur, que possui cofres inteligentes, onde o dinheiro é armazenado e já entra para a conta do empresário. Posteriormente, a Prosegur faz a logística do cofre e recolhe esse montante.

França diz que novos investimentos devem acontecer no País e afirma que a ideia é replicar as soluções das investidas, como a Concil, para outros mercados da Prosegur.

Fonte: dci.com.br

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO