Aquisições da China no exterior se recuperam nos últimos meses

As empresas chinesas aceleraram suas aquisições no exterior desde março após um abrandamento acentuado no início do ano, mostrou o relatório de uma consultoria dos Estados Unidos.

Um novo relatório do Rhodium Group, uma consultoria famosa pelo acompanhamento dos investimentos da China no exterior, mostrou que o número de fusões e aquisições (F&A) das empresas chinesas no exterior recuperou fortemente em maio, apesar do número dos primeiros seis meses de 2017 ter caído 20% em relação ao mesmo período de 2016.

“Em maio e junho, as empresas chinesas anunciaram publicamente mais de 20 novas transações de F&A no exterior com um valor de US$ 5 milhões ou mais, em torno dos níveis máximos de 2016”, disse o relatório.

O investimento direto da China no exterior reduziu substancialmente nos primeiros dois meses de 2017, pois os reguladores chineses elaboraram regras mais rigorosas para combater as atividades irracionais e ilegais de investimento no exterior em meio à pressão cada vez maior da saída de capitais.

As reservas de divisas da China aumentaram pelo quinto mês consecutivo em junho, indicando um alívio da pressão na fuga de capitais.

Enquanto a onda de aquisição no exterior em 2016 foi impulsionada principalmente pelas empresas dos setores privados, as empresas soberanas e estatais estão apoiando as atividades deste ano, correspondendo por cerca de 60% do valor de todos os acordos de janeiro a junho.

Embora as atividades de aquisição tenham diminuído em todos os setores no primeiro trimestre de 2017, os setores de alta tecnologia e serviços modernos (telecomunicação, imprensa e computação) têm sido mais resilientes, informou o relatório.

De acordo com o documento, a China Investment Corporation, o fundo soberano da China, fez o maior acordo deste ano até agora, concordando em comprar a Logicor, uma empresa pan-europeia de logística, da Blackstone por 12,25 bilhões de euros (US$ 13,8 bilhões) em junho. Esta também foi a quinta maior aquisição internacional da China.

Fonte: Xinhua/CRIcn

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
POST TAGS:
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO