Além das Startups

Inovação e startup são as palavras da moda. Ninguém quer estar de fora, seja mobilizando seus colaboradores a inovar (pauta da área de Recursos Humanos), seja querendo vivenciar um ambiente inovador, mesmo que como pauta de marketing e comunicação corporativa. Diversos modelos estão sendo testados, seja pelas aceleradoras ou atraindo startups para dentro de grandes corporações, no modelo in company.

Como motor desse movimento, milhares de investidores – pessoas físicas e jurídicas – estão aportando recursos de forma indiscriminada, num método de apostas sem grande compromisso ou esperança de resultado. O mercado tende a evoluir e amadurecer. Já há startups profissionalizadas, com boa governança, estruturas societárias mais complexas e sendo cobradas por resultados de “gente grande”. Empresas inovadoras com modelos já testados e produtos e serviços sendo comercializados. Já há histórias bonitas para contar, com empreendedores milionários ou bilionários, a partir de suas inovações. Outras, na esperança de seguirem o mesmo caminho, buscam rodadas e mais rodadas de investimento. Trago uma breve visão deste mercado, para lembrar de que, em paralelo, há um outro mundo que foi ficando esquecido e tem grande potencial de ganho para os investidores, nesse momento de baixa de juros e bagunça geral na nossa República – são as pequenas e médias empresas da economia real.

Muitas não estão no olho do furacão da inovação, mas possuem  produtos e serviços de qualidade, com um público consumidor fiel e muitos anos de estrada. Inovam de forma incremental e vão se renovando ao longo do tempo, assim como apresentam resultados financeiros interessantes e uma solidez gerencial que, em muitos casos, traz inveja às grandes corporações. Falta acesso a capital ou, às vezes, até ousadia para crescerem. É nesse ponto que entra o papel de um investidor visionário e astuto! São empresas que o valor não está em um novo aplicativo ou serviços essencialmente digitais, mas possuem produtos com diferenciação em mercados com grande potencial de crescimento e consolidação – modelos de negócios que podem ser escalados e franqueáveis, os quais a inserção de tecnologia é um meio e não um fim em si só. As fintechs, agritechs e afins são uma realidade que mudará o mercado e a forma de viver e consumir das pessoas. Quem acertar a mão ganhará muito dinheiro! Mas esse mercado não é para todos. Talvez, no Brasil, com carência de todos os tipos, seja realmente para poucos. Por isso ampliar a visão para o mundo das pequenas e médias empresas pode trazer ganhos surpreendentes lá na frente., aproveitando oportunidades únicas de assumir a gestão ou mesmo de participar como investidor.

Fabricio Scalzilli
Sócio da Nello Investimentos

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
NENHUM COMENTÁRIO

ESCREVA UM COMENTÁRIO